• Frentes Versos

Constelação

\\ POEMÁRIO


Por Victor Hugo Gonçalves, Colaboração para Frente & Versos

“Constellation Awakening at Dawn”, Joan Miró


Mediocridade da vida, que se diz Tempo,

Empalideceu estrelas que, há muito,

Animavam a escuridão de minha galáxia

E guiavam-me entre apáticos universos.

Astro por astro, estrela por estrela…

Da resplandecente imensidão,

Atravessada de ardentes corpos celestes,

Restou-me a ausência de luminosidade.

De quando em quando, despontam no céu;

Cintilam com euforia, propagam feixes de utópicas

Alegrias e, sem anúncios, cessam seus formosos brilhos.

E a luz, outrora hóspede assídua, fez-se visita desinteressada.

Eu, também estrela, procuro o contentamento

Da solidão, compreendendo a arrogante efemeridade do infinito.

À estrela cadente, desejo que fique ao meu lado;

Pois em meu mundo, presencio apenas a vastidão do nada.

©2019 por Frente & Versos. Criado com Wix.com