• Frentes Versos

Novo romance de Isabel Allende, 'Longa Pétala ao Mar', mantém-se sedutor como obra da autora

\\ LIVROS

Não é certo quantos livros Isabel Allende escreveu: “Eu acho que eu tenho 23 ou 24. Eu não os contei, mas posso descobrir para que você saiba.”

Por Elisabeth Egan*, do New York Times


Créditos: Reprodução/New York Times.


Não é certo quantos livros Isabel Allende escreveu: “Eu acho que eu tenho 23 ou 24. Eu não os contei, mas posso descobrir para que você saiba.” Sua mensagem é clara, soa suave e educada: as estatísticas não são o ponto. As histórias são.


De fato, Allende publicou 24 livros, incluindo memórias, histórias e ficção para jovens adultos. Seu 20º romance, “ Uma Pétala Longa do Mar ” - que aparece na lista de fichas de capa dura desta semana no Times Literary Supplement- é inspirado nas experiências de meio milhão de refugiados que deixaram a Espanha após a guerra civil dos anos 30 e foram presos na França.


“As praias foram fechadas com arame farpado e as pessoas foram empurradas para esses campos sem água, abrigo, comida. Às vezes eu luto com um livro, mas não lutei com este”, diz Allende. "Isso foi em 1939, então há documentação - fotografia, filmes e romances." Uma personagem foi inspirada por uma amiga que conheceu na Venezuela em 1975, que escapou no Winnipeg, um navio de carga que transportou mais de 2.000 pessoas para o Chile, a pedido do diplomata e poeta Pablo Neruda.


Allende sempre começa novos livros em 8 de janeiro, tendo a data emblemática início em 1981, quando começou a escrever uma carta para seu avô. Desse rito veio o seu primeiro romance, " A Casa dos Espíritos ". Ela começa a trabalhar às 5h30, quando o marido vai para a academia. Allende continua por cerca de 10 horas, com intervalos ocasionais, apenas para passear com seus vira-latas de resgate, Dulce e Perla.


Ela diz: “Silêncio, solidão e tempo. Isso é do que eu preciso."


Ocasionalmente, Allende escreve não-ficção em inglês, mas só desenha ficção em espanhol: “Porque para mim, a ficção acontece na barriga. Escrevo por instinto e essas coisas acontecem em espanhol - como rezar, contar, fazer amor.”


Allende diz que prefere escrever um livro a falar de um, mas depois conta histórias e histórias de pessoas com quem se deparou durante a primeira semana de sua caravana literária na divulgação do livro. Há o leitor que manteve o cartão que Allende enviou há 20 anos; o homem cuja vida da filha foi salva depois que o assistente de um médico reconheceu sintomas de porfiria sobre os quais lera nas memórias de Allende, “ Paula ”; e, finalmente, a cega de Tampa, na Flórida, que se aproximou do microfone e disse: "Eu escuto seus livros há anos e anos e é como se estivesse vendo em cores".


Allende diz: “Havia lágrimas na plateia. Essa conexão está realmente se movendo".


***

TÍTULO: Longa pétala de mar

AUTOR: Isabel Allende

EDITORA: Bertrand Brasil

ANO DA EDIÇÃO: 2019











*TRADUÇÃO DE AFFONSO DUPRAT

©2019 por Frente & Versos. Criado com Wix.com