• Frentes Versos

[Prateleira] Dez sugestões de leitura para a quarentena pelos editores de literatura da revista

\\ LIVROS


Recomendações de leitura dos editores da Frentes Versos. Das ficções as não ficções, dos lançamentos aos clássicos


Por André Vieira e Matheus Lopes Quirino


120 anos de Histórias do Bom Deus


TÍTULO: Histórias do Bom Deus

AUTOR: Rainer Maria Rilke

EDITORA: Editora 7 Letras

ANO DA EDIÇÃO: 2013


Reunião de 1900, quando Rainer Maria Rilke tinha vinte e quatro anos, os contos que compõem Histórias do Bom Deus são inspirados pela viagem que levou o autor até a Rússia no ano anterior. A vastidão da paisagem russa e a profunda espiritualidade que Rilke encontrou nas pessoas simples com quem se cruzou levaram o poeta a refletir sobre a forma como Deus mostra, descobrindo-o em tudo o que nos rodeia. Este é um conjunto de contos, parábolas e fábulas que quis que fosse particularmente destinado às crianças sobre o divino, sobre o amor e a devoção, e que veio a revelar-se um dos seus mais importantes trabalhos em prosa.


Poesia contemporânea 1


TÍTULO: Preocupações

AUTOR: Ana Guadalupe

EDITORA: Macondo

ANO: 2019


Em Preocupações, Ana Guadalupe enterra ares amenos e raios de sol que cintilam alegria. A dificuldade da vida parece ser incessante, mente rumina e corpo pare estar me constante descompasso. A todo lugar há alguma peça solta, claro, sob as cortinas de um destino nefasto, os poemas deste livro podem soar angustiantes, mas não tristes. A tristeza, mesmo na poesia, tem uma certa beleza, uma aura clarificada. De cores turvas, a paleta da poeta é uma mistura gris de desconfiança e languidez, já apontada na pintura da capa.


Poesia contemporânea 2


TÍTULO: Pequenas histórias de amor e morte e outros assuntos referentes

AUTOR: Gilles Eduar

EDITORA: Laranja Original

ANO: 2019


Gilles Eduar é um mestre da concisão. Em seu livro Pequenas Histórias de Amor e Morte e Outros Assuntos Referentes, é este título que soa o menos conciso. Um compêndio de poemas, pequenos contos e ilustrações, Eduar dá pedrigree ao prosaico, dando vigor poético a cenas deliciosamente banais, que muito mexem com a memória afetiva das pessoas observadoras. Influenciado por Cacaso e certamente pelos haicaistas, no exemplar da editora Laranja Original, acompanham os escritos uma delicada série de desenhos-poema.


Mangá


TÍTULO: Dementia 21

AUTOR: Shintaro Kago

EDITORA: Todavia

ANO DA EDIÇÃO: 2020


"Um dos mais cultuados artistas do mangá da atualidade, Shintaro Kago é um dos expoentes do gênero ero guro nansensu, tradição nascida nos anos 1930 e que usa o humor, o grotesco e o nonsense para falar de forma ácida da sociedade japonesa e de suas normas e tabus. Dementia 21 é um de seus mais celebrados trabalhos, Kago-san criou uma obra-prima cômica sobre os percalços de uma dedicada cuidadora de idosos. As aventuras da jovem Yukie Sakai — que envolvem alienígenas, monstros, idosos psicóticos e dentaduras possuídas pelo demônio — dão a medida do talento desse artista extraordinário e são uma janela para uma das mentes mais divertidas e perturbadoras do quadrinho mundial." (Sobre o livro, divulgação Todavia)


Quase esgotado


TÍTULO: A Balada do Café Triste

AUTOR: Carson McCullers


Corra, ainda dá tempo. Há poucos exemplares de A Balada do Café Triste, de Carson McCullers, na Estante Virtual. Livro de contos primorosos da autora que fez sucesso com o romance O Coração é Um Caçador Solitário, de 1939, McCullers retrata indivíduos que estão à margem da sociedade, em lugares lúgubres e soturnos no sul americano. Ainda dá tempo, vai, corre!


Estréia


TÍTULO: Fragmentos de um homem só

AUTOR: Wallace Andrade

EDITORA: Editora Nós

ANO: 2019


Livro de estreia do dramaturgo e artista audiovisual, Wallace Andrade incorpora a multiplicidade de olhares, destinos e sonhos num ambiente incontornável na realidade brasileira, a favela. Aliando poesia urbana às camadas de violência, alcoolismo, abandono e grandes dilemas existenciais dos que convivem à margem da sociedade, Wallace tece com cuidado uma obra que ora nos abre olhos para o lugar do outro e seus projetos comuns com o “eu”, ora deslancha como um romance íntimo, quase autobiográfico onde apreciamos os fragmentos desses outros dentro de nós mesmos. Ganhador da 1º edição do Edital de Publicação de Livros Estreantes da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo de 2018, Fragmentos conta a história de homens, mulheres, crianças, pais, irmãos e namoradas numa ciranda à procura de si e de suas vozes.

Análise de conjuntura


TÍTULO: O pêndulo da democracia

AUTOR: Leonardo Avritzer

EDITORA: Todavia

ANO: 2019


Sensação das estantes de estudos políticos no ano passado, livro de Leonardo Avritzer faz uma breve, mas ainda sim, profunda análise os meandros políticos brasileiros até as Jornadas de Junho de 2013, período político de incertezas que se descortinaram à luz do impeachment de Dilma Rousseff, do governo tampão de Michel Temer e do desgoverno atual. De linguagem clara e fluência inegável, O pêndulo da democracia resgata episódios caros à nossa jovem democracia e pinta com maestria a partir de dados, relatos e estudos de casos a debacle do papel do Estado como articulador de projetos nacionais. Na esteira de um mundo tomado pelo “novo normal”, Avritzer apresenta com precisão cirúrgica os próximos desafios para Brasil e seu frágil estado democrático antes pandemia.

Rio anos 20


TÍTULO: Metrópole à beira-mar

AUTOR: Ruy Castro

EDITORA: Cia. das Letras

ANO: 2019

Lançando no fechar de cortinas de 2019, Metrópole à beira-mar mergulha fundo na vida da Cidade Maravilhosa nos anos 20, ainda como capital política, econômica e cultural do País. Em mais um perfil de sucesso, Ruy Casto alia a prosa fina, certeira e por muitas vezes irônica à narrativa histórica, por vezes apaixonante, iluminada e subsidiada por relatos de época, documentos, livros, revistas, LPs que formam o acervo de do livro e estão disponíveis para consulta do leitor no site da Companhia das Letras. Dividido em dezoito — curtos a meu ver — capítulos que abrangem desde a gênese do movimento feminista no Brasil até chegada dos gaúchos à capital fluminense, liderados por Getúlio Vargas na revolução de 1930; Metrópole resgata as memórias de país menino, a partir da perspectiva de uma cidade-moça que apenas começava a sorrir.

Novos olhares sobre os clássicos


TÍTULO: Morte e Vida Severina

AUTOR: João Cabral de Melo Neto

EDITORA: Alfaguara

ANO DA EDIÇÃO: 2016


Concentrando o que há de melhor da obra de João Cabral de Melo Neto, a nova edição de Morte e Vida Severina renova a discussão do cânone da poesia trazendo recursos intertextuais, às vezes, imperceptíveis. Seja por meio do acabamento luxuoso, o recuo generoso ou a disposição engenhosa dos poemas, seja por meio das palavras certeiras de Braulio Tavares. A coletânea se mostra um prato cheio tanto ao leitor iniciado, ansioso pelas palavras do mestre como aquele experiente, nostálgico das aulas de poesias ou das discussões de literatura, muitas vezes acaloradas. Dessa forma, a contemporaneidade da obra se mantém fresca e irretocável, como as águas das ribanceiras severinas, margeando estórias e glórias daqueles que vêm e ficam pelo caminho.

Quadrinhos nacionais


TÍTULO: Cumbe

AUTOR: Marcelo D’Salete

EDITORA: Veneta

ANO: 2014


Em nova edição com posfácio do autor, Cumbe retrata as violências, sonhos, esperanças e dilemas dos cativos trazidos da África para realizar trabalho forçado em terras brasileiras. Com diálogos curtos e ilustrações de tirar o fôlego, D’Salete retrata com exatidão os silêncios, os cheiros e as cores dos povos negros que construíram um país estrangeiro, se enlaçaram em uma cultura e abraçavam uma terra diferente, gentil a despeito de seus senhores. Abarcando desde temáticas íntimas até a revolta de escravos em uma fazenda, a premiadíssima HQ, desponta nesta nova edição, alongada e retrabalhada, como excelente catalizador de reflexão para nosso passado colônia, em vista, sobretudo do movimento Black Lives Matter.

©2019 por Frente & Versos. Criado com Wix.com