• Matheus Lopes Quirino

Ruidosa reunião

\\ ENTREVERES

Quando me dei conta, lá estava meu pai conversando com o liquidificador

Por Matheus Lopes Quirino


-- Você vai ver quem manda aqui!

-- rrrrrhhhhhããããããããããã

-- Ah, é?! Você está pedindo....

-- rrrrrhhhhhããããããããããã

-- Agora chega! Aaah...

-- rrrrrhhhhhããããããããããã... rrrrrhhhhhããããããããããã


Lavando louças por quase duas horas faz a gente pensar na vida. Nas idas e vindas de tantas horas a fio que, longe da pia, tínhamos vida social, convívio e obrigações menos esfoliantes. O momento da louça suja para lavar é um toillete 2.0. Claro, uma pia suja prolonga a reflexão ao vaso em, no mínimo, quatro ou cinco vezes. Lavamos, lavamos, lavamos, lavamos e lavamos...


A Paty solta os rojões na pia. Não no bom sentido, ela que, acostumada a soltar os bofes, é uma mulher ruidosa que tem a pia como inimiga número um. Prestes a lavar mais uma leva, emendo na sugestão que ela concorda rindo. “É coisa de filme de terror!”, falo. E ela faz que sim em gênero, número e grau, já que é minha mãe. E não menos em concordância, ela já olha ao filho recém-acordado com um sorriso sabido, xícara em punho tomando café preto: “A pia...”. A pia virou motivo de piada entre os habitantes de nossa casa – e já é sabido quem vai lavar aquela xicarazinha.


Como a Hydra do mito grego, quanto mais lavamos, mais louça suja há para lavar. E não me refiro às discussões conjugais dos progenitores, nem ao destempero pueril de Angelina, que recentemente apelidei de Escandalina – Diabina, Marrentina, Chatina, Bucudina, entre tantas outras nominações –, pelas birras e bicos que faz a criança antes de colocar a mão na massa secando e guardando as louças que lavo.


Voltando à discussão do começo desta conversa, o absurdo do confinamento culminou num bate-boca, se é possível, entre o liquidificador e meu pai. Lá ia ele bater seu suco verde matinal, uma folha de couve enrolada em abacaxi e gengibre. Sólida mistura, devidamente congelada, não foi de primeira. Ele se enfezou com aquela máquina feroz, que sem titubeá-lo colocou os bofes pra fora como sua mulher, em ruidosa reação às suas provocações.


Terminando o suco, mais dois copos para lavar, além do liquidificador. Sábado é o dia da limpeza em casa. Levas de louça são lavadas, secas, guardadas, quintal é tarefa do pai. A Paty coordena as ações, dá conta da parte de cima, dos banheiros, eu tiro o pó das centenas de livros que guardo no quarto, tomo um suco verde, rimos da pia. Essa família nunca esteve tão unida...

©2019 por Frente & Versos. Criado com Wix.com